Navegue Por Aqui

Consumidores industriais do setor elétrico alertam para subsídios à geração distribuída

Data: 5/3/2021

Efeitos cumulativos nas contas de luz podem chegar a R$ 120 bilhões de reais até o ano de 2030

Por Gabriela Ruddy

Entidades de defesa do consumidor e representantes de consumidores industriais e residenciais do setor elétrico publicaram uma carta em conjunto contrário à aprovação do projeto de lei 5.829/2019 que isenta consumidores e investidores de geração distribuída de energia de pagar tarifas de transmissão e distribuição.

O projeto tramita em regime de urgência e está com a votação marcada para o dia 11 de março na Câmara dos Deputados.

Segundo os órgãos, caso o projeto seja aprovado, os efeitos cumulativos nas contas de luz dos subsídios podem chegar a R$ 120 bilhões de reais até o ano de 2030. O documento criticando a proposta é assinado pelo Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Associação Nacional dos Consumidores de Energia (Anace), Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), Conselho Nacional de Consumidores de Energia Elétrica (Conacen) e pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee).

A geração distribuída é o modelo no qual o consumidor gera sua própria energia, localmente ou de forma remota. Hoje, no Brasil, a maior parte dos projetos é de geração de energia fotovoltaica. De acordo com o grupo que assina o documento, a fonte solar já é competitiva no Brasil e não precisaria de novos incentivos para crescer. Eles afirmam que atualmente o peso dos subsídios aos 120 mil usuários de geração distribuída no país já é de R$ 2,5 bilhões.

Confira a notícia completa em: https://valor.globo.com/empresas/noticia/2021/03/05/consumidores-industriais-do-setor-eletrico-alertam-para-subsidios-a-geracao-distribuida.ghtml

Fonte: Valor Econômico