Navegue Por Aqui

Consumo de eletricidade no Brasil pode cair até 12% em 2020, diz consultoria

Data: 26/5/2020

O consumo de eletricidade, importante indicador da atividade econômica, pode ter queda de 5% a 12% no Brasil em 2020, em meio a impactos da pandemia de coronavírus sobre a demanda, apontou a consultoria especializada RegE.

A projeção, se confirmada, representaria um cenário bem pior que as últimas estimativas da estatal Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e de outros órgãos técnicos do setor, que no início de maio revisaram suas perspectivas e sinalizaram retração de 2,9% no uso de energia neste ano.

Com pandemia, consumo de energia em abril é o menor para o mês desde 2012, diz ONS

Até o final de março, as previsões de EPE, Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) eram de recuo de apenas 0,9% no consumo.

A consultoria RegE apontou que a redução do consumo tem sido mais expressiva no mercado livre de eletricidade, no qual grandes clientes como indústrias negociam seu suprimento diretamente com geradores e comercializadores, o que será acompanhado por renegociações de contratos e até possível aumento da inadimplência nesse setor.

Governo cria socorro ao setor elétrico, e conta de luz pode aumentar em 2021

Comercializadoras de energia esperam um impacto negativo de R$ 5 bilhões neste ano devido a esses pedidos de flexibilização e ao menor consumo por parte de seus clientes como consequência do coronavírus.

Em meio à forte retração na demanda e também a um aumento da inadimplência com a pandemia, o governo tem negociado um pacote de apoio a distribuidoras de energia que deve envolver mais de R$ 10 bilhões em empréstimos de um grupo de bancos liderado pelo BNDES.

A consultoria RegE, que tem entre os sócios um ex-diretor da Aneel, Tiago de Barros, avaliou que a desaceleração da economia impactará fortemente o consumo de energia elétrica, que poderia cair 4,7% em cenário considerado “otimista”.

Em visão “moderada”, o recuo na demanda poderia ser de 7,9%, enquanto um cenário “pessimista” poderia levar a um tombo de 12,3% no uso de eletricidade, segundo estimativas próprias da ReGe.

Mercado financeiro passa a projetar tombo de 5,89% para o PIB em 2020

Em um cenário “normal”, sem a pandemia, o consumo de eletricidade poderia ter crescido 4,5% no país em 2020 — número em linha com as estimativas de EPE, ONS e CCEE no final do ano passado.

As projeções da consultoria levam em consideração uma queda de 3,6% no PIB brasileiro no cenário otimista e de 6,1% no moderado, enquanto a visão pessimista envolveria recuo de 9,5% na economia.

A expectativa de analistas de mercado para o desempenho da economia brasileira neste ano é de uma queda de 5,89%, segundo boletim Focus publicado pelo Banco Central nesta segunda-feira (25), contra queda de 5,12% na semana anterior.

Fonte: Reuters - Redação