Navegue Por Aqui

Coronavírus: Bento Albuquerque diz que governo estuda isentar de conta de luz consumidor de baixa renda

Data: 7/4/2020

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta segunda-feira (6) que o governo está finalizando um projeto para isentar consumidores de baixa renda do pagamento da conta de luz durante crise do coronavírus.

O ministro participou no início desta tarde de uma live nas redes sociais com o deputado Paulo Ganime (Novo-RJ).

Segundo o ministro, é preciso garantir “condições mínimas de sobrevivência” para a população que está em isolamento em razão da pandemia.

Bento explicou que, de acordo com os planos do governo, ficarão isentos os consumidores de baixa renda, que usam até 220 kw ao mês, o que nos cálculos do ministro fica em torno de R$ 150.

“É uma preocupação válida, porque muitos estão sem condições de ganhar recursos necessários para ter uma vida sustentável”, afirmou o deputado.

Bento disse que a decisão é do governo, mas que outros agentes, como as distribuidoras estão sendo ouvidos no processo de construção da medida.

Ainda de acordo com o ministro, as distribuidoras não terão problemas com o caixa, porque o governo federal vai arcar com os custos com dinheiro do Tesouro e o “remanejamento de outras verbas existente”.

Bento não detalhou quais verbas serão remanejadas e não deu um prazo para que a medida seja implementada.

“Nesse momento em que boa parte da população está isolada em casa, ela tem que ter a luz, tem que ter a energia, tem que ter o combustível, tem que ter o botijão de gás para que ela possa ter as condições mínimas de sobrevivência”, afirmou o ministro.

O ministro participou no início desta tarde de uma live nas redes sociais com o deputado Paulo Ganime (Novo-RJ).

Segundo o ministro, é preciso garantir “condições mínimas de sobrevivência” para a população que está em isolamento em razão da pandemia.

Bento explicou que, de acordo com os planos do governo, ficarão isentos os consumidores de baixa renda, que usam até 220 kw ao mês, o que nos cálculos do ministro fica em torno de R$ 150.

“É uma preocupação válida, porque muitos estão sem condições de ganhar recursos necessários para ter uma vida sustentável”, afirmou o deputado.

Bento disse que a decisão é do governo, mas que outros agentes, como as distribuidoras estão sendo ouvidos no processo de construção da medida.

Ainda de acordo com o ministro, as distribuidoras não terão problemas com o caixa, porque o governo federal vai arcar com os custos com dinheiro do Tesouro e o “remanejamento de outras verbas existente”.

Bento não detalhou quais verbas serão remanejadas e não deu um prazo para que a medida seja implementada.

“Nesse momento em que boa parte da população está isolada em casa, ela tem que ter a luz, tem que ter a energia, tem que ter o combustível, tem que ter o botijão de gás para que ela possa ter as condições mínimas de sobrevivência”, afirmou o ministro.

Fonte: G1 - Luiz Felipe Barbiéri