Navegue Por Aqui

PMO: previsão de vazões no Sudeste aumenta para 129% da MLT

Data: 23/11/2018

Valor do CMO recua e projeção de crescimento da carga desacelera para 2,1% ao fechamento de novembro.

As condições hidrológicas no Sistema Interligado Nacional continuam a melhorar nos dois maiores submercados do país. Segundo a última revisão do Programa Mensal de Operação para o mês de novembro, o volume esperado de vazões para o fechamento de novembro voltou a aumentar. A nova projeção para o Sudeste/Centro-Oeste é de uma energia natural afluente equivalente a 129% da média de longo termo, no Sul essa previsão subiu para 109%. Já no Nordeste recuou para 69% e no Norte aumentou para 74% da média histórica.

A nova projeção para a carga é de um crescimento menos acelerado do que o divulgado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico na semana passada. A expectativa é de elevação em 2,1% ante os 2,6% de sete dias atrás. É esperada a expansão da carga a 67.409 MW médios no SIN. No SE/CO espera-se aumento de 1,6%, de 4,4% no Sul, 4,2% no NE e queda apenas no Norte, de 2,8%, resultado da redução na carga de um consumidor livre conectado na Rede Básica, desde abril deste ano.

A perspectiva para o fechamento deste mês em termos de armazenamento é de 23,1% para o SE/CO ante os 21,8% estimados na revisão anterior do PMO. No Sul é esperado um nível menor do que na semana passada, 70,9% ante os 72,2 estimados anteriormente. No Nordeste o documento aponta para 29,7% da capacidade para o submercado e no Norte apenas 20,4% do total.

Com isso, o valor médio semanal do Custo Marginal de Operação de todos os subsistemas do SIN passou de R$ 113,40/MWh para R$ 96,90/MWh em todo o país. Os patamares de carga pesada e média estão em R$ 97,85/MWh e a leve em R$ 95,22/MWh. Para a semana operativa que se inicia neste sábado, 24 de novembro, há previsão da importação de energia, por ordem de mérito, do Uruguai, de 120 MW médios, 270 MW médios e 550 MW Médios nos patamares de carga pesada, média e leve, respectivamente.  O CVU dessa oferta está em R$ 84,19/MWh no bloco 1 e em R$ 92,74/MWh no bloco 2, este para a carga média apenas.

A ordem de despacho térmico é pouco menor ante o estabelecido semana passada, com 4.679 MW médios. A maior parte é por inflexibilidade com 3.220 MW médios, 964 MW médios por ordem de mérito e mais 495 MW médios por restrição elétrica. Na semana da partir do dia 24 o avanço de uma nova frente fria associada a um sistema de baixa pressão pelas regiões Sul e Sudeste deve provocar chuva fraca a moderada nas bacias hidrográficas de interesse do SIN.

Fonte: Agência CanalEnergia - Mauricio Godoi