Navegue Por Aqui

Vazões recuam em todo o país, aponta ONS

Data: 01/02/2019

Volume de vazões é menor no NE com 16% da MLT, mas nível projetado dos reservatórios no SE/CO deverá ficar em menos de 30% em meados de período úmido

A primeira revisão mensal do PMO para o mês de fevereiro apresentou decréscimo de vazões em todo o país. A pior situação ainda está com o Nordeste, onde projeção de Energia Natural Afluente é de apenas 16% da média de longo termo, com 2.380 MW médios. Em nenhuma das outras regiões a MLT é alcançada, a situação é melhor no Norte com a perspectiva de alcançar ENA de 82%, no Sudeste/Centro-Oeste recuou para 63% e no Sul é esperado o volume equivalente a 75% da MLT.

Ao mesmo tempo o Operador Nacional do Sistema Elétrico aponta que a perspectiva de carga para o mês é de expansão de 8,1%, sendo o maior responsável por esse indicador o SE/CO, maior submercado do país com aumento de 9,5%. No Sul o segundo maior a projeção é de 9,1% de expansão, enquanto no NE é de 5,6% e no Norte o crescimento esperado é de 0,6%. O ONS explica que esse indicador mais expressivo deve-se à ocorrência do Carnaval em fevereiro o que reduziu a base de carga para a comparação com 2019.

Com isso o ritmo de recuperação dos reservatórios ficou mais lento que o esperado sete dias atrás. A situação mais pressionada está justamente no maior submercado do país, o SE/CO, onde a estimativa é de fechar o mês em 27,9% e isso, em pleno período úmido, um aumento de apenas 1,4 ponto porcentual ante o nível inicial deste mês. Além disso, no Sul é esperado o nível de 41,4% ante o inicial de 44,6%, no NE a queda é de 42,1% para 40,9%. No Norte está o único aumento, de 15,2 p.p. para 45,8%.

Como consequência, o CMO médio nos dois maiores submercados consumidores do país, o SE/CO e Sul, aumentaram em 33,5% quando comparado à semana passada. Passou a R$ 462,48/MWh, resultado da carga pesada a R$ 471,32/MWh, a média a R$ 469,38/MWh e a leve a R$ 454,30/MWh. No NE o valor avançou menos, 2,9%, para R$ 140,25/MWh com as cargas pesada e média a R$ 145/MWh e a leve a R$ 135,26/MWh. No Norte o valor caiu à média de R$ 26,72/MWh.

Apesar disso, a geração térmica prevista para a semana operativa que se inicia neste sábado, 2 de fevereiro, ficou praticamente estável. A estimativa é de 7.213 MW médios, sendo 3.619 MW médios por ordem de mérito e 3.595 MW médios por inflexibilidade.

Em termos de meteorologia, ocorreu chuva fraca nas bacias dos rios Paranapanema, Tietê, Grande, Paranaíba, Tocantins e em pontos isolados do São Francisco. Já para a próxima semana deve ocorrer deve ocorrer chuva fraca nas bacias dos rios Jacuí, Uruguai, Iguaçu, Paranapanema, Tietê, Grande, São Francisco e em pontos isolados do Paranaíba e do Tocantins.

Fonte: Agência CanalEnergia - Maurício Godoi