Navegue Por Aqui

Sem acordo político, mudanças no setor elétrico seguem emperradas

Data: 20/11/2021

A falta de consenso político e de coordenação do governo têm emperrado, há seis anos, o avanço no Congresso de projetos que trazem novas regras para o setor elétrico. As resistências atrasam mudanças como a permissão para todos os consumidores terem acesso ao mercado livre de energia, onde o cliente pode comprar diretamente das geradoras ou de comercializadoras (que são uma espécie de revendedores).

Uma das vantagens para quem adere a essa forma de compra é a previsibilidade dos preços. Quem fecha um contrato sabe quanto pagará pela energia que vai consumir durante toda a vigência do contrato. Já quando o consumidor compra energia das distribuidoras, as tarifas são corrigidas anualmente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O reajuste leva em conta a inflação e os custos da distribuidora com compra de energia, além dos investimentos feitos por ela.

A abertura do mercado livre e outras atualizações nas regras estão previstas em dois textos semelhantes, ambos com origem em uma consulta pública conduzida no governo Michel Temer. As propostas também abrem espaço para a chamada “modernização do setor elétrico”, que é colocada como prioritária pela equipe de energia do governo de Jair Bolsonaro.

Confira a notícia completa em: https://www.correiobraziliense.com.br/economia/2021/11/4964651-sem-acordo-politico-mudancas-no-setor-eletrico-seguem-emperradas.html

Fonte: Correio Braziliense